Regras de atendimento em call centers ainda são desrespeitas por empresas

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil 

Brasília - A lei que determinou novas regras de funcionamento para os Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC) já completou três meses, mas continua sendo descumprida pelas empresas. A avaliação é de órgãos e entidades de defesa do consumidor ouvido pela Agência Brasil.

Segundo o Ministério da Justiça, nos 67 dias úteis passados desde que o decreto entrou em vigor, foram registradas 3,2 mil reclamações por descumprimento da lei em todo o país. Mais de 370 empresas foram autuadas e 36 multadas.

Entre outros pontos, o Decreto 6.523/08 determina que o consumidor não deva esperar mais do que um minuto para ser atendido. Ao ligar para um SAC, o consumidor deve ter a opção, logo no primeiro cardápio eletrônico, de falar diretamente com o atendente, sem ter que fornecer seus dados antes.

O assessor jurídico do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Marcos Diegues, aponta que as empresas de telefonia são as que mais violam a lei. Ele ressalta que a denúncia de irregularidades é fundamental para que as empresas possam ser punidas. O consumidor que não for atendido de acordo com as normas vigentes deve procurar o PROCON mais próximo.

“As empresas tem que ser multadas e o consumidor tem um papel muito importante nesse aspecto que é o de registrar a reclamação. E ele tem o direito de solicitar a gravação do seu contato com a empresa porque isso servirá de prova para mostrar que o atendimento foi inadequado”, recomenda.

A coordenadora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - Pro Teste, Maria Inês Dolci, defende que o consumidor lesado deve repensar o seu contrato com a empresa ou prestador de serviço.

“Ao desrespeitar a lei, elas estão apostando que poderão ir à Justiça depois para discutir essa multa. É um desrespeito enorme com o consumidor, porque ele tem prejuízo não só financeiro, mas também do tempo que perde entrando em contato com os call centers. Lembrando que é ele quem remunera esse serviço e precisa ser bem tratado”, acredita.
http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/03/13/materia.2009-03-13.9886371197/view

IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor)

http://www.idec.org.br

 

 
 

Sobre Identidade

Ganância

Sempre que as pessoas se tornam gananciosas, elas ficam bem apressadas, e tentam encontrar meios de ir mais rápido. Estão sempre correndo pois acreditam que a vida está se esgotando. São essas as pessoas que dizem, "tempo é dinheiro."

Tempo é dinheiro? Dinheiro é muito limitado; o tempo é ilimitado. Tempo não é dinheiro, tempo é a eternidade. Sempre foi e sempre será. E você sempre esteve aqui e sempre estará aqui.

Então abandone a ambição e não se incomode com o resultado. Às vezes acontece que, devido a sua impaciência, você perde muitas coisas.

(O Livro da Transformação- OSHO- Ed. Sextante- Tradução: Carlos Irineu da Costa)

 

O Prof. Henrique Rattner foi fundador da ABDL e diretor do Programa LEAD no Brasil. Atualmente é consultor na Divisão de Economia e Engenharia de Sistemas do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas.



Sobre Identidade

Este espaço é destinado à reflexão e ao debate de temas que nos permitam elaborar e discutir alternativas aos problemas que a sociedade enfrenta em sua busca de justiça social. Não devemos aceitar calados o discurso dominante e assistir passivamente à imposição de normas e diretrizes que levem a maior parte da população a um estado de miséria, alienação e privações. O atual modelo de desenvolvimento privilegia os interesses econômicos de minorias poderosas, desconsiderando as outras dimensões da vida coletiva, sejam elas sociais, culturais, ambientais ou religiosas. De uma forma rápida e violenta, o convívio social e os valores sociais se degeneram.

Queremos caminhar em direção à utopia - a construção coletiva de um paradigma civilizatório que contemple todos os seres humanos e respeite todas as dimensões da vida em sociedade, baseada na cooperação, na solidariedade, na democracia participativa e na justiça social.

Sua participação - enviando comentários, críticas e sugestões - é fundamental!

Em Busca de Identidade

Um dos problemas centrais de nossa época, para indivíduos e coletividades, é como manter a identidade e a lealdade às raízes, às tradições e à cultura de origem face ao avanço impetuoso das tecnologias e dos padrões de produção e consumo, apresentados pela ideologia dominante como evidências do progresso e da modernidade.

A realidade social não confirma essa visão linear e positivista. Os seres humanos vivem envoltos em teias de significados simbólicos por eles criados e que transmitem sentimentos de identidade, de "pertencer" sem os quais a vida se torna em pesadelo. São os recursos simbólicos - as crenças, valores, ideologias, as leis, normas e instituições que transformam indivíduos em atores e participantes de uma determinada cultura que configura o imaginário e possibilita sua materialização sob forma de ação social libertadora.

http://www.abdl.org.br/article/view/871

 

08 de Setembro, 2004

 

 
 

Páscoa, a passagem para o novo

O riso é eterno, a vida é eterna, a celebração continua. Os atores mudam, mas a peça continua. As ondas se sucedem, mas o oceano continua.

 

Você ri você muda - e alguém mais ri -, mas o riso prossegue.

 

Você celebra alguém mais celebra, mas a celebração continua.

 

A existência é contínua, é um continuum. Não há um único momento de quebra nela. Nenhuma morte é a morte, porque cada morte abre uma nova porta, então é um começo. Não há fim para a vida, há sempre um novo começo, uma ressurreição.

 

Se você trocar sua tristeza por celebração, então também será capaz de trocar a morte por ressurreição. Aprenda essa arte enquanto há tempo.

 

(O livro da Transformação-Osho- Ed. Sextante - Trad. Carlos Irineu da Costa)

 

A Celebração da Páscoa é de origem pagã, e comemora a chegada de um período de fertilidade.

 

Independente das crenças de cada um é possível de se perceber pessoas no mundo todo em celebração da passagem (páscoa) para um novo mundo!

 

É um período desafiador, e não pode ser analisado, apenas vivenciado! A mente não pode dar conta das mudanças, das transformações e dos desafios que a humanidade enfrenta nesse período de transição.

 

É sua escolha dizer adeus ao velho mundo de crenças limitadas, é como estar na beira do abismo e saltar sem pára-quedas. Dizer adeus ao velho mundo é o que chamo de “a noite escura da alma”.

 

As sensações são de morte, de perde de controle e de medo? Você pode sentir e perceber que é o novo lhe pedindo passagem? É a vida lhe pedindo novas respostas, e elas estão em você!

 

 

 

 

 

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher
MSN -