Sobre Identidade

Ganância

Sempre que as pessoas se tornam gananciosas, elas ficam bem apressadas, e tentam encontrar meios de ir mais rápido. Estão sempre correndo pois acreditam que a vida está se esgotando. São essas as pessoas que dizem, "tempo é dinheiro."

Tempo é dinheiro? Dinheiro é muito limitado; o tempo é ilimitado. Tempo não é dinheiro, tempo é a eternidade. Sempre foi e sempre será. E você sempre esteve aqui e sempre estará aqui.

Então abandone a ambição e não se incomode com o resultado. Às vezes acontece que, devido a sua impaciência, você perde muitas coisas.

(O Livro da Transformação- OSHO- Ed. Sextante- Tradução: Carlos Irineu da Costa)

 

O Prof. Henrique Rattner foi fundador da ABDL e diretor do Programa LEAD no Brasil. Atualmente é consultor na Divisão de Economia e Engenharia de Sistemas do IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas.



Sobre Identidade

Este espaço é destinado à reflexão e ao debate de temas que nos permitam elaborar e discutir alternativas aos problemas que a sociedade enfrenta em sua busca de justiça social. Não devemos aceitar calados o discurso dominante e assistir passivamente à imposição de normas e diretrizes que levem a maior parte da população a um estado de miséria, alienação e privações. O atual modelo de desenvolvimento privilegia os interesses econômicos de minorias poderosas, desconsiderando as outras dimensões da vida coletiva, sejam elas sociais, culturais, ambientais ou religiosas. De uma forma rápida e violenta, o convívio social e os valores sociais se degeneram.

Queremos caminhar em direção à utopia - a construção coletiva de um paradigma civilizatório que contemple todos os seres humanos e respeite todas as dimensões da vida em sociedade, baseada na cooperação, na solidariedade, na democracia participativa e na justiça social.

Sua participação - enviando comentários, críticas e sugestões - é fundamental!

Em Busca de Identidade

Um dos problemas centrais de nossa época, para indivíduos e coletividades, é como manter a identidade e a lealdade às raízes, às tradições e à cultura de origem face ao avanço impetuoso das tecnologias e dos padrões de produção e consumo, apresentados pela ideologia dominante como evidências do progresso e da modernidade.

A realidade social não confirma essa visão linear e positivista. Os seres humanos vivem envoltos em teias de significados simbólicos por eles criados e que transmitem sentimentos de identidade, de "pertencer" sem os quais a vida se torna em pesadelo. São os recursos simbólicos - as crenças, valores, ideologias, as leis, normas e instituições que transformam indivíduos em atores e participantes de uma determinada cultura que configura o imaginário e possibilita sua materialização sob forma de ação social libertadora.

http://www.abdl.org.br/article/view/871

 

08 de Setembro, 2004